"Não há nenhuma dúvida sobre isso: a distribuição de livros é a nossa atividade mais importante. O templo não é um lugar para comer e dormir, mas uma base a partir da qual enviamos nossos soldados para lutar com maya. 'Lutar com maya' significa deixar cair milhares e milhões de livros no regaço das almas condicionadas. Assim como durante o tempo de guerra as bombas estão chovendo do céu como nada."
Srila Prabhupada
(Carta a Ramesvara, 3 de Agosto de 1973)

Distribuição de Livros: Nossa Atividade Mais Importante

Distribuição de livros se refere à divulgação do conhecimento transcendental da consciência de Krishna e livrar as almas condicionadas de ignorância. Especificamente, os livros de Srila Prabhupada têm dentro deles toda a informação e compreensão necessárias para levar todos, qualquer parte do mundo ao serviço devocional do Senhor Krishna; seus livros vão aliviar as pessoas do sofrimento material e orientá-los de volta para Deus, de volta à sua posição constitucional e felicidade definitiva em uma vida eterna de bem-aventurança e conhecimento. Consequentemente a distribuição de livros refere-se sobretudo a distribuir os livros de Srila Prabhupada, que é dotado de poder para cumprir a previsão de Sri Caitanya Mahaprabhu, que o santo nome do Senhor será conhecido em cada cidade e aldeia mundial.

“Não há nenhuma dúvida sobre isso: Distribuir livros é nossa atividade mais importante”. Srila Prabhupada estabeleceu este ponto absolutamente claro através das suas instruções, sua gestão, suas palestras, e, especialmente, suas cartas. Porque a distribuição de livros é a prioridade, Srila Prabhupada queria que cada membro da ISKCON fosse ensinado como distribuir livros: “Eu gosto do seu programa de enviar seus melhores distribuidores de livros para ensinar os outros. Esse é o processo da consciência de Krishna: treinar outros. Continue esse programa para que, no futuro, cada devoto em nosso movimento venha a conhecer a arte de distribuir livros.”

A missão de Srila Prabhupada de escrever livros, estabelecer a ISKCON, e salvar as almas condicionadas apresenta um grande desafio para seus seguidores: aplicar as instruções em seus livros para o nosso próprio progresso e fazer suas instruções disponíveis para os outros. Assim, pregar e distribuir livros são deveres primordiais da ISKCON.

A pregação é a melhor maneira de salvar a nós mesmos e aos outros, e a distribuição dos livros de Srila Prabhupada é a melhor pregação. Portanto, este livro é baseado nas três seguintes premissas:

  1. Pregação da consciência de Krishna é a principal missão da ISKCON;
  2. Distribuição de livros é a pregação melhor e mais importante;
  3. Prabhupada queria que cada devoto conhecesse a arte de distribuir livros.

“Qualquer um que tenta sinceramente apresentar o Bhagavad-gita Como Ele É vai avançar em atividades devocionais e atingir o estado devocional puro da vida. Como resultado de tal devoção pura, ele tem a certeza de voltar para casa, de volta ao Supremo” (Bhagavad-gita. 18,68, significado). Isso definitivamente se aplica à distribuição de livros. Krishna diz que Suas instruções nunca podem ser explicadas para aqueles que não são austeros ou dedicados, nem para quem está com inveja dele. De acordo com estas condições, a maioria das pessoas que se encontram com os distribuidores de livros não são candidatos aptos para a Consciência de Krishna. Mas o Senhor Caitanya não leva em conta estas condições, e Seus devotos são tão misericordiosos que dão a todos a oportunidade de envolver muitos no serviço devocional. Eventualmente algumas dessas pessoas se purificam o suficiente para aceitar Krishna como a Suprema Personalidade de Deus e tornarem-se devotos, e ter encontrado aqueles devotos faz com que os distribuidores de livros sejam muito queridos para Krishna. “Para aquele que explica este segredo supremo aos devotos, o serviço devocional puro está garantido, e no final ele vai voltar para mim. Não há servo no mundo mais querido para mim do que ele, nem nunca haverá alguém mais querido”(Bhagavad-gita 18,68-69). A declaração de Krishna que os pregadores são Seus servos mais queridos foi enfatizado por Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura e Srila Prabhupada, que ensinou que a pregação (especialmente distribuindo literatura transcendental) é o dever fundamental do movimento de sankirtana.

A pregação é o dever de um devoto, e distribuir os livros de Srila Prabhupada é a melhor pregação. Qualquer devoto pode fazer isso de acordo com a sua capacidade especial, e essa será a sua melhor pregação, quer ele a distribua livros diretamente, ou indiretamente através de outras atividades do movimento da consciência de Krishna. É muito desejável que, de alguma forma ou de outra, todos os membros da ISKCON individualmente saboreiem o néctar único da distribuição de livros de Srila Prabhupada. Que os devotos saiam com mais frequência com o aumento do entusiasmo, conhecimento e experiência! Que a distribuição transcendental de livros de Srila Prabhupada se expanda em todo o mundo!

Canto Congregacional: O Processo Espiritual Desta Era

“O Krishna, lho de Maharaja Nanda, sou Teu servo eterno, porém, de alguma forma caí no oceano de nascimentos e mortes. Por favor, retira- me deste oceano de mortes e coloca-me como uma partícula de poeira a Teus pés de lótus.” (Siksastakam 5)

Neste verso, o Senhor Caitanya sugere o real propósito deste mundo material: Ele é criado para dar às almas caídas um local para se aprimorarem. É por isso que Krishna descende e por isso que Ele envia seus representantes e por isso que as Escrituras estão aqui: para mostrar o caminho de volta ao Supremo. O Senhor Caitanya descende para introduzir a yuga-dharma, o processo de vida espiritual para esta era, que é sankirtana- dharma, o canto congregacional dos Santos Nomes do Senhor. Ilustraremos agora este ponto com algumas declarações de Srila Prabhupada; e declarações adicionais irão demonstrar que a distribuição de livros é o meio de estabelecer o yuga-dharma. Tudo isso servirá para explicar por quê Srila Prabhupada chamava a distribuição de livros de “nossa mais importante atividade”.

Que a auspiciosidade seja invocada ao citarmos as palavras de Srila Prabhupada, o fundador Acharya da ISKCON, que carregam o real significado da distribuição de livros e proporciona um terreno comum para aprofundarmos nossa meditação na conquista da missão sankirtana do Senhor Caitanya.

(a) Signi cado do mundo material

Srimad-Bhagavatam 3.5.24 (signi cado): O Senhor queria criar a manifestação cósmica para dar outra chance às almas condicionadas que estavam adormecidas no esquecimento. A manifestação cósmica dá

às almas condicionadas uma oportunidade de voltar ao
lar, voltar ao Supremo, e este
é razão principal. O Senhor é tão bondoso que na ausência de tal manifestação, ele sente que falta algo, e então a criação acontece…O processo todo é animar as almas condicionadas adormecidas para a verdadeira vida da consciência espiritual, de forma que elas se tornem tão perfeitas quanto às já libertas almas de Vaikunthaloka. Sendo o Senhor sac-cid-ananda-vigraha, Ele deseja que cada parte e parcela de Suas diferentes potências façam parte da bem- aventurada rasa-lila, porque participar com o Senhor dessa eterna rasa-lila é a mais alta condição de vida, perfeita em bem-aventurança espiritual e conhecimento eterno.

(b) Por quê o Senhor descende

Srimad-Bhagavatam 1.2.34 (significado): Existem inúmeros universos materiais, e em cada e todo universo existem inúmeros planetas habitados por diferentes graus de entidades vivas em diferentes modos de natureza. O Senhor (Vishnu) encarna pessoalmente em cada um deles e em cada tipo de sociedade viva. Ele manifesta Seus passatempos transcendentais entre eles apenas para criar o desejo de voltar ao Supremo. O Senhor não muda Sua posição transcendental original, mas Ele parece estar diferentemente manifestado de acordo com o tempo, circunstância e sociedade específica.

Às vezes Ele mesmo descende ou dá poderes a determinado ser vivo para agir por Ele, mas em ambos os casos o propósito é o mesmo: o Senhor quer que as entidades vivas sofredoras voltem ao lar, voltem ao Supremo. A felicidade que as entidades vivas estão buscando não será encontrada em canto algum dos inúmeros universos e planetas materiais. A felicidade eterna que as entidades vivas querem é obtenível no reino de Deus, mas os esquecidos seres vivos sob a in uência dos modos materiais não têm informação do reino de Deus. O Senhor, portanto, vem propagar a mensagem do reino de Deus, seja pessoalmente
com uma encarnação ou através de seu representante digno como o bom filho de Deus. Tais encarnações ou os filhos de Deus não estão fazendo propaganda de volta ao Supremo apenas entre a sociedade humana. Seu trabalho é também entrar em todos os tipos de sociedades, entre semideuses e outros além dos seres humanos.

(c) A importância das Escrituras

Sri Caitanya-caritamrta, Madhya-lila 20.122: A alma condicionada não pode reviver sua consciência de Krishna através de seu próprio esforço. Mas por sua misericórdia sem causa, Senhor Krishna compilou a literatura védica e seus suplementos, os Puranas.

Significado: A alma condicionada é enganada pela energia ilusória do Senhor (maya). A função de Maya é manter a alma condicionada esquecida de sua verdadeira relação com Krishna. Portanto a entidade viva se esquece sua real identidade como alma espiritual, Brahman, e ao invés de entender sua real posição, imagina ser produto da energia material…De sua misericórdia sem causa e compaixão, Krishna compilou várias literaturas védicas em Sua encarnação como Vyasadeva. Vyasadeva é o saktyavesa-avatara do senhor Krishna. Ele muito gentilmente nos apresentou estas literaturas para despertar as almas condicionadas de seus sentidos. Infelizmente no momento atual as almas condicionadas são guiadas por demônios que não se interessam por ler as literaturas Védicas. Apesar de haver um imenso tesouro de conhecimento, as pessoas estão interessadas em ler uma literatura inútil que não lhes dará informação alguma sobre como se libertarem das amarras de maya. O propósito da literatura Védica é explicado nos seguintes versos.

Verso 123: A alma condicionada esquecida é educada por Krishna através da literatura Védica, do mestre spiritual realizado e através da Superalma. Através destes canais, ela poderá compreender a Suprema Personalidade de Deus como Ele é, e poderá entender que o Senhor Krishna é o mestre eterno, e o libertador das garras de maya. Desta forma se pode adquirir verdadeiro conhecimento sobre a vida condicionada e é possível compreender como obter liberação.

Significado: Ao se esquecer de sua real posição, a alma condicionada pode conseguir ajuda através do sastra, guru e Superalma em seu coração. Krishna está situado no coração de todos como a Superalma. (…) Como o saktyavesa-avatara Vyasadeva, Krishna ensina à alma condicionada através da literatura Védica. Krishna aparece externamente como o mestre espiritual e treina a alma condicionada a voltar a consciência de Krishna. Quando sua consciência de Krishna original é revivida, a alma condicionada é liberta das amarras materiais. Portanto a alma condicionada é sempre auxiliada pela Suprema Personalidade de Deus de três formas – pelas escrituras, pelo mestre espiritual e pela Superalma em seu coração. O Senhor é o libertador da alma condicionada e é aceito como o Senhor Supremo de todas as entidades vivas.

(d) O aparecimento de Senhor Caitanya

Srimad-Bhagavatam 1.3.9 (significado): O Senhor é muito bondoso com as almas esquecidas. Ele, portanto vem como Ele mesmo e deixa para trás instruções necessárias e também envia Seus bons lhos como representantes para chamar todas as almas de volta ao Supremo. Recentemente, na memória de todos, Senhor Caitanya também apareceu pelo mesmo propósito: para mostrar atenção especial às almas caídas deste era da indústria de ferro.

Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila 3.223-226: Advaita Acarya estava sempre absorto em pensamentos sobre como salvar as almas caídas do mundo todo. “O mundo todo está cheio de não-devotos,” ele pensava. “Como eles serão libertos?”. Determinado a libertar todas as almas caídas, Advaita Acarya decidiu causar a vinda de Krishna.

Com seus votos, ele começou a oferecer água do Ganges e tulasi na adoração ao Senhor. Similarmente, Haridasa Thakura cantava em sua caverna às margens do Ganges com a intenção de causar a vinda de Krishna. Por conta do serviço devocional destas duas pessoas, Senhor Sri Caitanya Mahaprabhu veio como uma encarnação. E assim Ele pregou o Santo Nome do Senhor e o amor estático por Krishna para libertar o mundo todo.

(e) Sankirtana é a yuga-dharma

Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila 3.52: Na Era de
Kali, pessoas inteligentes performarão o canto congregacional para adorar a encarnação do Supremo que constantemente canta o nome de Krishna. Embora sua pele não seja escura, Ele é o próprio Krishna. Ele está acompanhado por Seus associados, servos, armas e companhias con denciais.

Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila 3.19-29: “Eu pessoalmente inaugurarei a religião da era – nama sankirtana, o conto congregacional do santo nome. Eu farei o mundo dançar em êxtase, realizando os quarto humores do serviço devocional amoroso. Eu aceitarei a função de um devoto, e eu ensinarei o serviço devocional pela minha própria prática. A menos que se pratique o serviço devocional, não será possível ensinar a outros.

A conclusão é portanto confirmada através de todo o Gita e Bhagavatam: “Sempre e onde quer que haja um declínio na prática religiosa, ô descendente de Bharata, e um predominante aumento da irreligião – nesta hora Eu mesmo descenderei. Para libertar o piedosos e aniquilar os canalhas, bem como para reestabelecer os princípios da religião, Eu mesmo apareço, milênio após milênio. Se eu não mostrar os princípios próprios da religião, todos estes mundos cairão em ruínas. Eu seria a causa da população indesejada e estragaria todos estes seres vivos. Seja qual for o ato que um grande homem realiza, pessoas comuns o seguem”. E todos os padrões que ele define por atos exemplares, todo o mundo o segue. “Minhas porções plenárias podem estabelecer os princípios da religião em cada era. Ninguém além de Mim, no entanto, pode conceder o tipo de serviço amoroso realizado pelos residentes de Vraja”.

Pode haver muitas todo-auspiciosa encarnações da Personalidade de Deus, mas quem além de Senhor Sri Krishna poderia dar o amor de Deus às almas rendidas? “Portanto na companhia de Meus devotos Eu aparecerei na Terra e executarei vários passatempos coloridos.” Pensando assim, a Personalidade de Deus, Sri Krishna Ele mesmo, desceu a Nadia no início da Era de Kali.

Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila 3.40: A prática religiosa para a Era de Kali é transmitir as glórias do Santo Nome. Apenas por este propósito o Senhor, numa cor dourada, desceu como Senhor Caitanya.

Significado: Nesta Era de Kali, o sistema prático de religião para todos é o cantar do nome do Senhor Supremo. Isso foi introduzido nesta era pelo Senhor Caitanya. Bhakti-yoga na verdade começa com o cantar do santo nome, assim confirmado por Madhvacarya em seu comentário no Mundaka Upanisad: “Em Dvapara-yuga as pessoas adorarão o Senhor Vishnu apenas pelos princípios regulativos do Narada-pancaratra e tais outros livros autorizados. Na Era de Kali, porém, as pessoas deverão simplesmente cantar os santos nomes da Suprema Personalidade de Deus”. O mantra Hare Krishna é especificamente mencionado em muitos Upanisads, tais como o Kali-santarana Upanisad, onde é dito: “Após procurar por toda a literatura Védica, não é possível encontrar um método de religião mais sublime para esta era do que o cantar de Hare Krishna.” •